Coronavírus está no Sul Fluminense e também no Sul de Minas

Possíveis impactos mentais causados pela pandemia Ivo Carraro*
28/04/2020
Salão do Pinhão, em Mauá, será virtual
11/05/2020
Mostrar tudo

Coronavírus está no Sul Fluminense e também no Sul de Minas

coronavirusRegião em que primeiro foi constatada a presença do coronavírus 19 – a Covid –, o Sul Fluminense tem os maiores registros dessa doença em Barra Mansa, onde houve a registro inicial, e Volta Redonda. O município de Resende aparece com número de infectados bem abaixo dessas duas cidades vizinhas e, na região de Visconde de Mauá, há a informação de apenas uma pessoa infectada, que teria vindo de São Paulo, a turismo. Por precaução, em Resende, Barra Mansa, Pinheiral e Barra do Piraí, as pessoas estão usando máscaras de proteção e os hospitais estão ampliando seus leitos para receber as pessoas infectadas pela Covid.

A notícia boa é que o número de recuperados já passa de 150 pacientes, devendo chegar a duas centenas nos próximos dias. Daí essa Porteira do Mato vem até você para lembrar o que toda a mídia tem destacado: use máscara para se proteger do vírus, que circula na atmosfera e a máscara é o meio mais eficaz de se proteger. E, se possível, não sair de casa. Não vamos entrar nessa infeliz estatística. O uso da máscara é a principal proteção. Vamos nessa?

Na região, o comércio ficou fechado nos primeiros dias e agora está funcionando em horários restritos. Supermercados, farmácias,

Hospitais, bancos e demais serviços de primeira necessidade estão abertos, mas também em horários restritos. Segundo as autoridades da Saúde,     na região já são mais de 500 registros de pessoas infectadas pela doença e as mortes chegavam, até o fechamento desta edição, a duas dezenas, com tendência de alta em ambos os tipos de registro.

A notícia boa é que, em Volta Redonda, o mais forte município do Sul Fluminense, com quase 150 mil habitantes, já teve mais de 150 pessoas recuperadas. Em Barra Mansa, bem como em outras cidades da região, barreiras sanitárias controlam a entrada de pessoas, permitindo, em geral, moradores e parentes. Nas demais cidades – Barra do Piraí, Piraí, Vassouras, Valença, Pinheiral e outras, os registros são bem menores e os mesmos procedimentos de controle da entrada estão sendo adotados.

Daí, insistirmos: fiquemos em casa ou vamos usar máscaras faciais, quando precisarmos sair. Elas podem ser feitas em casa, com qualquer pano ou roupa antiga, sem uso. Com elásticos ou barbantes nas pontas de cima e de cima e de baixo, já se tem uma boa máscara e uma defesa para não pegar o vírus. Não vamos dar mole para esse vírus.

 

 

 

Veja mais sobre o coronavírus

Possíveis impactos mentais causados pela pandemia Ivo Carraro*

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *