Moradores foram impedidos de vacinar

Festa do Pinhão começa nesta sexta
05/05/2016
Festa do Pinhão pode ir para Resende
11/05/2016

A falta de vacina contra a gripe não foi o único problema enfrentado pela população da região de Maromba, Vale de Santa Clara e Maringá. Os moradores do lado mineiro da região foram impedidos de vacinar, sob a alegação de que só poderiam fazê-lo os residentes em Itatiaia (RJ). Com isso, inúmeras crianças e idosos estão sem a vacina, já que o lado mineiro, pertencente ao município de Bocaina de Minas (MG), não dispõe de um único posto de saúde.

vacina

No Vale de Santa Clara, por exemplo, do lado mineiro, moradores antigos, com mais de 80 anos e que fundaram a Vila de Santa Clara, voltaram para casa sem a vacina. O mesmo ocorreu com crianças, muitas delas com menos de cinco anos. E o motivo foi o mesmo: moram em Maringá de Minas ou em Maromba de Minas, não pertencendo ao município de Itatiaia. O Rio Preto, que desce do alto das Agulhas Negras, é o divisor de fronteiras, separando os municípios de Itatiaia e Resende, no Estado do Rio de Janeiro, do município de Bocaina de Minas, em Minas Gerais.

Com pouco mais de 6 mil moradores e um dos menores orçamentos municipais do estado, Bocaina de Minas não tem um único posto de saúde na região. Há apenas, em Maringá de Minas, uma escola pública e um posto da Polícia Militar mineira. E é na própria escola que um médico da prefeitura presta atendimento aos moradores, uma vez por semana. Quando ocorre algum problema mais grave, a única opção é o Hospital de Emergência de Resende ou o de Itatiaia, a cerca de uma hora de distância, para quem possui automóvel.

Como a campanha de vacinação é nacional e as vacinas são enviadas pelo Governo Federal, fica a questão sem resposta: aonde esses moradores vão poder ser vacinados? Segundo funcionários do posto da Maromba, que pediram para não ser identificados, a determinação partiu da própria prefeitura. Mas se as vacinas são enviadas pelo Governo Federal, pode a Prefeitura de Itatiaia adotar essa determinação? E caso ocorra uma onda de gripe nessas regiões, em razão de muitos moradores não terem podido se vacinar, quem será o responsável?

Enquanto os poderes públicos municipais não dialogam e não se entendem, quem sofre é a população da região, impossibilitada de ter acesso a serviços públicos de saúde.

1 Comentário

  1. Diogo disse:

    que irresponsabilidade com a vida! se escondem atrás da burocracia ao invés de atender seu cliente, o cidadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *