Obra da creche de Mauá está paralisada

A Trombeta
22/09/2017
Prefeitura de Resende entra com ação na justiça para continuar a obra da creche em Mauá
29/09/2017
Mostrar tudo

Obra da creche de Mauá está paralisada

Obra da creche de Mauá está paralisada

Desde 1995, quando sua população começou a se expandir, com a chegada de novos imigrantes,os moradores da Vila de Mauá e de seus entornos, como o Lote 10, lutam pela construção de uma creche pública para suas crianças.

Em março de 2014, a Prefeitura de Resende iniciou as obras previstas para terminar no fim daquele ano, mas elas estão paradas e o espaço da creche está abandonado, com muito material de construção se deteriorando. Por onde deveriam estar circulando inúmeras criaturinhas arteiras, com suas vozes e correrias, o ar é de abandono e desperdício.

Luta antiga

Em 1995, a filha de Rosely Dias da Silva Assis era deixada com uma babá, para que ela pudesse sair para trabalhar e ganhar o sustento da vida. Hoje ela está já na faculdade e a creche ainda não está pronta. Mais conhecida como Rose Nicolino, sobrenome do avô, Rose disse à Porteira que desde aquela época os moradores lutam para a criação de uma creche.

Popular na região, pois foi coordenadora da Pastoral da Esperança e ministra da Eucaristia, na Igreja de São Lourenço, no Lote 10, por muitos anos, Rose está passando um abaixo-assinado reivindicando a imediata retomada das obras.  O documento será entregue pelos próprios moradores ao prefeito e também ao Ministério Público Estadual.

“É uma necessidade imediata, pois as mães estão sendo obrigadas a pagar para as babás ficarem com as crianças, gastando recursos que já são escassos”, apontou. Afinal, um dos motes de campanha do atual prefeito de Resende, Diogo Balieiro, foi de construir “um creche em cada bairro”.

Cenário de abandono

Localizada quase em frente à Aldeia dos Imigrantes, ao lado da sede do Parque Estadual  da Pedra Selada, o espaço da creche é tomado de abandono e à frente da Escola Municipal Francisco Quirino Diniz, entre a Vila e o Lote 10, a obra da creche está com telhas, tijolos e bloquetes de cimento no chão, muitos ao relento. Seu espaço de quase 700 metros quadrados está tomado de capim nos pátios, materiais de construção e equipamentos abandonados tanto nos pátios e quanto nas salas, sem nenhum vigia, com uma cerca mal ajambrada, feita de placas de madeira aglomerada. Tão frágil, que a reportagem desta Porteira não encontrou a menor dificuldade em encontrar uma brecha e adentrar.

Refeitório, banheiros, salas, cozinha, almoxarifado e espaços de recreio estão inconclusos. Num desses espaços, uma placa caída e bastante danificada informa o início das obras em 24 de março de 2014, com término previsto para 24 de novembro do mesmo ano. Contrato nº 033/14, da Prefeitura de Resende com a empresa Deskgraphic Engª e Computação EPP, no valor de R$ 1.700.819,38. Esse é o custo monetário do desperdício de recursos públicos.

Fonte: http://www.resende.rj.gov.br/obras/noticia/comeca-a-construcao-da-creche-de-visconde-de-maua-

1 Comentário

  1. Matias Faria Dias disse:

    Aparentemente as crianças de Mauá não precisam de cuidados. Precisam mesmo é de shows da Anita e de duplas sertanejas da moda.
    Essa é a nossa democracia representativa que, infelizmente, não representa ninguém. A não ser sempre a pequenos grupos que estão no poder, como o de agora representado na figura de Diogo Balieiro Diniz (ou Diniz Balieiro, não sei a ordem).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *