14 milhões de italianos estão prontos para os fins de semana prolongados da primavera

Apesar da queda das temperaturas e de olho nas previsões meteorológicas que prometem a chegada de um clima mais ameno, Os italianos estão prontos para partir para aproveitar os fins de semana prolongados de primavera de 25 de abril e 1º de maio. Mas acima de tudo são encorajados a permanecer em Itália. Segundo estimativas de Federalberghi, quase 14 milhões (13,9) de italianos pretendem viajar entre o aniversário da Libertação e o Dia do Trabalho. Especificamente, 4,1 milhões de concidadãos irão arriscar, ou seja, aproveitar ambos os feriados; 4,6 milhões partirão apenas no dia 25 de abril e 5,2 milhões de viajantes partirão no dia 1º de maio. Sem dúvida, o calendário deste ano, que marca o Dia da Libertação na quinta-feira e o Dia dos Trabalhadores na quarta-feira, desempenhou um papel importante no planeamento geral. O que favoreceu os objetivos nacionais. 90,2%, dos cerca de 5 mil entrevistados num inquérito confiado à Tecnè, afirmaram que pretendem permanecer em Itália. Os destinos preferidos dos viajantes que permanecerão dentro das fronteiras nacionais serão o litoral (39,7%), os locais de arte (25,6%) e as montanhas (13,7%). Para quem vai para o estrangeiro, ganham as grandes capitais europeias (74,5%), seguidas do mar (17,1%). O alojamento preferencial será um hotel (39,9%); seguido por casa de parentes e amigos com 26,1%, casa própria (18,9%) e bed & café da manhã (9,8%).

«Parece-me importante sublinhar o carinho que os italianos demonstram pelas nossas instalações: no que diz respeito à estadia, o hotel está na pole position para a maioria dos viajantes» comenta o presidente da Federalberghi, Bernabo Bocca. E a Confindustria Alberghi também está muito satisfeita com a tendência, tendo registado uma ocupação média das estruturas que ultrapassa os 70% graças a um crescimento significativo de clientes italianos para além de estrangeiros. E vê também o primeiro banco de testes para destinos à beira-mar onde as reservas estão a aumentar tanto para o fim de semana prolongado de 25 de Abril, onde os quartos reservados são 77% dos disponíveis, como para o fim de semana de 1 de Maio, onde o número de quartos reservados é “muito positivo”. percentual já está em 67%. E as cidades estão “muito bem”. Veneza confirma-se como o destino mais procurado tanto para o fim de semana prolongado de 25 de abril, com mais de 90% dos quartos já reservados, como para o fim de semana prolongado de 1 de maio, com mais de 88% das reservas.

«No geral, teste aprovado. Aguardamos os próximos meses com confiança apesar dos desafios que o setor enfrenta”, comenta Maria Carmela Colaiacovo, presidente da Confindustria Alberghi. As férias terão uma duração média de 4,3 dias e quem permanecer em Itália gastará em média 422 euros. O turismo confirma-se assim como um motor excecional da economia local, gerando um volume de negócios de 2 mil milhões de euros. «Os fins de semana prolongados de primavera, além de serem importantes oportunidades de crescimento para o turismo local, podem representar momentos potenciais para descobrir ou redescobrir a pequena Itália, composta por pequenos municípios, aldeias fascinantes, lugares que surgem nas zonas mais internas e menos movimentadas do fluxos turísticos canónicos”, sublinha o ministro do Turismo, Daniela Santanchè relembrando os 34 milhões de euros do Fundo para pequenos municípios com vocação turística.

Por outro lado, a pesquisa da Federalberghi indica que a principal motivação para as férias será o descanso e relaxamento (63,2%) e que durante estes dias as principais atividades serão caminhadas (75%), excursões e viagens (47,7%) , participação em eventos gastronómicos e vínicos (38,8%) e visitas a museus ou exposições (24,7%). Tudo isto ajustando a variável meteorológica que, entretanto, para o dia 25 de Abril, prevê o regresso do sol para Norte, mas não para as Dolomitas onde haverá precipitação, um clima estável no Centro mesmo que com alguns aguaceiros à tarde no Apeninos e Marche e um dia predominantemente estável e ensolarado no Sul, embora haja alguma precipitação ao longo das costas da Campânia e da Calábria Tirrena.

Felipe Costa