“A formiga vagabunda” de Emilio Isgrò para em Milão

A viagem começou em San Pier Niceto no dia 22 de julhoquando o município montanhoso do Tirreno, na província de Messina, atribuiu o cidadania honorária a Emilio Isgrò, o artista conceitual nascido em Barcelona Pozzo di Gotto (seu avô paterno era de San Pier Niceto), tornou-se famoso em todo o mundo por suas “apagações” e também conhecido como dramaturgo, poeta e escritor.

Agora o grande caminhão de 17 metros de comprimento “carregando uma formiga”, que apareceu pela primeira vez naquela ocasião, volta a se dirigir a Basileia, na Suíça. Depois de ter parado perto da Galeria de Arte Moderna e Contemporânea de Roma por ocasião da iniciativa “Artista do Gnam, Emilio Isgrò protagonista 2024”, o que podemos definir como uma obra de arte conceitual autopropelida, intitulada “A formiga errante” , hoje fará uma parada em Milão, às 10h, perto da Trienal, em frente ao grande monumento do qual o próprio Isgrò é autor, “A Semente do Altíssimo”, na Piazza Alemagna.

«Fazer grandes as pequenas coisas» é a frase que contém a poética e a lógica artística de Isgrò, uma forma de lidar «com as questões contemporâneas da migração e da globalização», quando parece cada vez mais necessário que não se perca o contributo das culturas e das tradições locais. . Mas certamente não é por acaso que o infinitamente pequeno, representado pela formiga, se encontra, com o conforto da armadura moderna ou da armadura representada pelo grande caminhão, comparado a uma enorme escultura, que representa uma semente de laranja (lembrando a escultura que Isgrò deu a Barcelona há muitos anos) ampliado um bilhão e 500 milhões de vezes Seja apagando ou ampliando, o artista siciliano obtém o mesmo efeito, que lhe permite sublinhar até um único conceito a ponto de trazê-lo para o primeiro plano, como. uma expressão exemplar de algo de que o mundo necessita, mesmo quando acredita poder prescindir dele, cego pelo necessário progresso tecnológico. Este, segundo Isgrò, sempre traz dentro de si a infinita e pequena semente que pode embelezar (e salvar) o mundo.

Imediatamente após a nomeação milanesa, a “formiga errante”, fazendo jus ao seu nome, partirá novamente rumo à feira Art Basel 2024, uma das mais importantes do mundo, marcada em Basileia de 13 a 16 de junho, onde irá será apresentado pela Tornabuoni Art, abrindo a seção Ilimitado. Um palco internacional para a formiguinha que partiu de San Pier Niceto.

Felipe Costa