Ameaças e insultos ao jornalista da Rai depois de Catanzaro-Cosenza, a história recomposta e o papel da sinergia institucional reafirmado

Após alguns dias de tensão, o caso envolvendo o conselheiro nacional Ussi foi resolvido como era lógico. Antonio Lopes, durante anos, um colega muito apreciado da sede regional da Rai Calabria, uma voz e um rosto de correção transparente e imparcialidade.

As polêmicas que surgiram após o clássico e os comentários sobre os incidentes após o jogo Cosenza-Catanzaro foram selados com uma ação conjunta e agora as posições foram transferidas para um amplo campo que nada tem a ver com reportagem esportiva, tanto quanto a presença em o território do Rai.

A presença de Antonio na rádio “Tutto il calcio minuto a minuto” teve um valor ainda mais simbólico considerando que na cabine com ele estava o excelente editor-chefe da Rai Calabria Ricardo Giacoianão apenas filho da arte, mas descendente de um cantor esportivo e do calabresa em particular como Emanuele, uma voz inesquecível e um profissional extraordinário.

Fomos convidados a não alimentar talvez involuntariamente posições oficiais às vésperas de Catanzaro-Reggiana, expondo ainda mais o nosso colega ao fogo dos diversos canais sociais.

No entanto, agora é a oportunidade de destacar a intervenção oportuna também neste caso, não de forma flagrante, mas concreta, do presidente da Lega B, Mauro Balata, com o apoio da assessoria de comunicação da própria Liga e as palavras do presidente da empresa Catanzaro dedicado ao caminho de distanciar a atenção e a tensão em relação a Antonio Lopez. Intervenções que foram inestimáveis.
O Nacional Ussi, em óbvia sinergia com o grupo calabresa do Sindicato Italiano de Imprensa Esportiva, renova seu apoio e apreço a Antonio Lopez, considerando sua história simbólica para afirmar mais uma vez os valores que inspiram todo jornalista profissional que ama seu trabalho e Ele fala claramente sobre esporte, que é um assunto mais exposto a humores e paixões.

Felipe Costa