Carta de Sciotto: “Messina será registrada regularmente. Franza? Por favor, tome medidas para nos apoiar”

Silêncio quebrado após mais de vinte dias de reflexões, “sem comentários” e atividades ocultas. Agora Messina tenta trazer a ordem olhando para o futuro próximo e fá-lo através de uma carta aberta do presidente Pietro Sciotto, dirigida à cidade. «Pelo amor incondicional que sinto pela ACR e para excluir qualquer possível mal-entendido, comunico que a equipe estará regularmente inscrita para o próximo campeonato da Série C». Conceito “básico”, não secundário em relação ao que caracterizou os verões anteriores.

«A empresa – continua o dirigente máximo – está a trabalhar ativamente na tramitação dos complexos procedimentos relativos à documentação necessária à participação no campeonato 2024/2025. Inscrição, considerada prioritária em relação ao planejamento necessário que se seguirá uma vez formalizado.”
Mas em qualquer caso, estaríamos também a pensar nos aspectos puramente técnicos e de campo: «Já foram iniciadas as devidas discussões com o director desportivo Domenico Roma e o treinador Giacomo Modica, bem como para a reorganização do pessoal do clube e para o recuo da pré-temporada – volta a esclarecer Sciotto, embora ainda seja uma notícia “oficial” -. Sem dúvida os meus problemas de saúde, que deveriam permanecer sempre um assunto privado e confidencial, mas que inevitavelmente influenciam cada acção, aliados à amargura do protesto de uma parte dos adeptos, certamente não ajudam a conduzir o trabalho com serenidade de planeamento e. superando questões críticas”.

Depois, referindo-se a potenciais ofertas, como a alegada de 2,5 milhões de euros que circularam nas últimas horas, o dirigente máximo dos Giallorossi fez saber que estava “imediatamente disposto a formalizar a transmissão das ações” a este preço fixo. «Reitero, no entanto, que nenhuma oferta de compra foi dirigida ao ACR Messina».
Depois, um apelo dirigido ao tecido económico local, ao qual Sciotto já se tinha dirigido noutras ocasiões, pedindo o apoio do clube que preside, e concretamente da Associação dos Industriais, para que possamos actuar no sentido de «apoiar o futebol da cidade, a partir de resto feito para outros clubes esportivos.”
Para concluir, «sem veia polémica», o presidente Pietro Sciotto quis lembrar-nos que «sozinho, com muito amor por um lugar importante», dirige «há sete anos o futebol em Messina, com importantes investimentos económicos decorrentes do seu trabalho e não herdado da família”, da qual “herdou, pelo contrário, um património inestimável de valores que são o farol do seu percurso de vida”.

Felipe Costa