Catanzaro, Prêmio Ceravolo para De Zerbi: “Quero ser autêntico”

“No futebol há muita gente que vê as coisas de forma diferente, não quero imitar ninguém, admiro-os Guardiola, Ancelotti, Klopp, Arteta, Conte, Sarri mas eu mesmo quero ser autêntico. Todos jogam pelo resultado, mas há quem siga o caminho que mais sente seu e em campo procuro sempre trazer quem sou.” É assim que o Sr. Roberto De Zerbi – que recentemente deixou a bancada de Brighton – premiado com a décima primeira edição do Prêmio Nicola Ceravolo em Catanzaro, criado pelo jornalista Maurizio Insardà, em memória do inesquecível presidente da equipe Giallorossi. Cerimônia apresentada pelo jornalista Mônica Bertini com o diretor editorial da Italpress e coordenador do prêmio, Ítalo Cucci, comparado no palco com o convidado da noite. “Gostaria de ir para outro país onde nunca estive, tentar impressionar o mesmo jogo em lugares diferentes”, disse De Zerbi. “Acredito que os treinadores italianos são os melhores, sempre na vanguarda, poucos conseguem vencer-nos na compreensão do jogo. O ambiente lá fora muda, no nosso país o resultado muda tudo, lá fora as pessoas vivem de forma diferente”.

Intérprete do belo jogo, apesar da tradição da Catenaccia citada pelo diretor Cucci, De Zerbi comentou o seguinte: “Também já joguei nos campos do C, os treinadores podem ser decisivos para dar disciplina, organização e confiança, mas não vencer partidas. No final, quem tiver o elenco mais forte no geral vence. Spalletti fez um milagre em Nápoles. Gasperini mudou a Serie A não hoje, não há muitos anos.” O treinador também falou sobre a Itália envolvida no próximo Campeonato Europeu: “A seleção tem muitos jogadores muito bons, mas não tem estrelas como Baggio, Totti ou Del Piero de alguns anos atrás. Falta o jogador com esse charme, só Spalletti pode preencher a lacuna. Não é uma questão de idade ou nacionalidade, mas sim do valor do jogador que, naqueles anos, provavelmente estava num nível diferente. Acredito nos jovens, mas se eles são fortes e merecem jogar, a personalidade conta em campo. Talvez em Itália falte setores juvenis adequados, porque estamos sempre a tentar poupar e queremos tudo imediatamente”.

O presidente do Catanzaro também foi premiado durante a noite, Floriano Noto, que recordou “os sacrifícios de Nicola Ceravolo, na época da Série A, e que ainda hoje são retribuídos pelos Giallorossi que, mesmo de muito longe, continuam a acompanhar-nos”. Também foi premiado o capitão e bombardeiro dos Eagles, Pietro Iemmello, ligados a De Zerbi pela experiência vivida juntos em Foggia. O prémio jornalístico “Emanuele Giacoia” foi atribuído pela Ricardo Giacoiaeditor-chefe do Tgr Calabria, na voz de Tutto il calcio minuto a minuto, Tonino Raffa. A lista de honra do Prêmio Ceravolo inclui nomes ilustres como Claudio Ranieri, Fabio Capello, Antonio Conte, Marcello Lippi, Cesare Prandelli, Javier Zanetti, Carlo Ancelotti, Luciano Spalletti, Roberto Mancini e Andrea Barzagli

Galeria de fotos de Salvatore e Romana Monteverde

Felipe Costa