Ele foi vacinado 217 vezes contra o Coronavírus. “Sem efeitos colaterais”

Um alemão que se vacinou deliberadamente contra a Covid-19 217 vezes sem relatar quaisquer efeitos secundários devido às inúmeras administrações é, segundo os investigadores, a “pessoa mais vacinada da história”.

O sistema imunológico do homem de 62 anos da cidade de Magdeburg, no centro da Alemanha, ainda está funcionando em plena capacidade, disseram pesquisadores na revista The Lancet Infectious Diseases. O homem – cujo nome não foi divulgado – ele recebeu voluntariamente as numerosas injeções contra todos os conselhos médicos, enquanto os especialistas alertam contra a retirada de quaisquer conclusões de longo prazo deste único caso. O homem chamou a atenção dos pesquisadores pela primeira vez após relatos de 2022, quando havia recebido apenas 90 vacinações. Segundo relatos da mídia da época, o homem era suspeito de ter recebido tantas doses para coletar certificados de vacinação que poderiam ser falsificados e vendidos a pessoas que não queriam ser vacinadas. De acordo com o artigo científico publicado no início desta semana, o Ministério Público de Magdeburg abriu uma investigação sobre alegações de fraude no caso, mas nenhuma acusação criminal foi apresentada. O caso ofereceu aos pesquisadores a rara oportunidade de estudar a chamada “hipervacinação”.

Alguns cientistas teorizaram que, depois de tantas vacinações, as células imunológicas do corpo se tornariam menos eficazes à medida que se acostumassem aos antígenos. Mas este não foi o caso do alemão: segundo os investigadores, o homem tinha “concentrações consideravelmente mais elevadas” de células imunitárias e anticorpos contra o vírus Covid em comparação com um grupo de controlo de três pessoas que tinham recebido as três vacinas recomendadas, diz ele. Eu estudo. Além do mais, seu corpo não mostrou sinais de fadiga com todas aquelas injeções: sua 217ª dose de vacina ainda aumentou seu número de anticorpos contra Covid, descobriram os pesquisadores. O homem relatou que nunca teve nenhum efeito colateral com nenhuma das vacinas. Ele também nunca testou positivo para Covid e não mostrou sinais de infecção anterior, disseram os pesquisadores.

Felipe Costa