M5S em Ars: “Prisões em Messina, mais um golpe na credibilidade da política. Falhas de Musumeci e Schifani”

“As prisões de hoje, que envolveram o comissário para instabilidade hidrogeológica para a Sicília Maurizio Crocebem como o antigo conselheiro regional e antigo candidato de centro-direita a presidente da Câmara de Messina, representam uma grave derrota para a política regional e mais uma prova de que a corrupção é uma verdadeira emergência social que deve ser combatida de todas as formas e em todas as áreas. Não é por acaso que o M5S sempre lutou para trazer à tona a prevaricação e fê-lo concretamente com a lei nacional sobre denúncia de irregularidades, que protege os funcionários que denunciam incidentes suspeitos e abusos. Com os novos contratos que chegam do PNRR, é necessário aumentar ainda mais a nossa vigilância porque não é difícil prever que, infelizmente, episódios deste género estão destinados a aumentar”. A afirmação foi do líder do grupo M5S em Ars Antonio De Luca.
“Se as acusações se confirmassem – continua De Luca – o caso não poderia deixar de ser incluído entre os muitos fracassos dos governos Musumeci e do próprio Schifani que manteve Croce no papel fundamental de comissário delegado para a instabilidade hidrogeológica”. “A corrupção – conclui De Luca – não é apenas um grave dano à economia. Neste caso, os episódios de corrupção, segundo as acusações, teriam levado à criação de obras diferentes e subdimensionadas face ao esperado com graves potenciais consequências para os territórios e para a segurança dos cidadãos»

Felipe Costa