Messina, “O I-Hub deveria nascer aí mesmo?”. Antonella Russo pede mais envolvimento

O futuro da área I Hub tornou-se agora uma oportunidade de debate. A percepção concreta do valor daquela área “despojada” dos edifícios que a ocuparam durante décadas sem finalidade, estimula a possibilidade de se poder desenhar um futuro muito diferente. Nos últimos dias gravamos a fala do Prefeito Basile que abriu a possibilidade de inserção de espaços verdes e comuns no âmbito do projecto original do Innovation Hub, um pólo de tecnologia digital a ser criado numa estrutura moderna no centro da zona onde se situavam os Silos Celeiros, a Casa do Porto e os armazéns gerais e o mercado do peixe. Ontem também o ex-vereador Giuseppe Laface quis dar a sua contribuição ao debate.
Hoje Antonella Russo, vereadora do Partido Democrata, através de uma pergunta ao prefeito Basile, ao deputado Mondello e ao diretor-geral Puccio, lança uma série de perguntas que visam saber quais são as reais intenções da administração em relação a esses espaços e a esses 71 milhões disponíveis. Antonella Russo pergunta qual é a vontade do prefeito em relação ao desenvolvimento da área e se é sempre criar um polo tecnológicoque pela sua missão poderia também ser criada noutras zonas da cidade, ainda mais descentralizadas no que diz respeito ao carácter estratégico da zona em questão, ou a de criar estruturas adequadas para representar uma ligação estratégica para a recepção de turistas, para a continuação das ciclovias e zonas pedonais emergentes na zona, para a valorização de uma área de impacto imediato sobranceira ao mar, tanto do ponto de vista comercial e turístico como do ponto de vista naturalista.

Felipe Costa