'Ndrangheta, Irto (Pd): não podemos dividir contra os clãs

«Tem razão, Monsenhor Francisco Savino, vice-presidente da CEI: não podemos dividir-nos contra a 'Ndrangheta. Seria um grave erro se a política e os diversos atores sociais se movimentassem de forma isolada, buscando visibilidade em vez de envolvimento, como solicitou Paolo Borsellino, todas as consciências, especialmente os jovens”. O senador afirmou isso em nota Nicola Irtosecretário do Partido Democrático da Calábria.
«Em linha com a visão do Papa Francisco, Monsenhor Savino e toda a Igreja da Calábria – continua o parlamentar – há muito que nos encorajam a superar divergências e limites nas questões da liberdade e da igualdade, a olhar juntos para as prioridades do Sul. o combate à 'Ndrangheta é uma prioridade absoluta para a Calábria, o que exige investimentos políticos, culturais e sociais, além da meritória ação repressiva do Estado.”
«Devemos testemunhar e ensinar às novas gerações – sublinha Irto – que a 'Ndrangheta cria enormes desigualdades e injustiças sociais muito graves, que o crime organizado polui a economia e determina o agravamento progressivo da qualidade dos serviços públicos, a começar pelos cuidados de saúde. Devemos também rejeitar e combater a cultura 'Ndrangheta, outro grande problema, que assume a forma de contorno sistemático das regras, do uso de relações pessoais para fins privados e de abusos a todos os níveis, começando desde a infância.”
Segundo Irto, «é preciso criar alianças culturais e sociais para apoiar e difundir uma pedagogia antimáfia que, na esteira dos ensinamentos de Don Lorenzo Milani, transmita, especialmente aos mais jovens, o valor insuperável da democracia e do compromisso público destinada a garantir a igualdade de condições para os mais pobres e mais fracos. Como Partido Democrático da Calábria, continuamos a trabalhar – conclui Irto – precisamente nesta direção”.

Felipe Costa