O monstro ecológico da aldeia Rovale em Sila destruído após 50 anos

O Município de São João in Fiore tomou medidas para demolireco-monstro da aldeia Rovale, perto de Lorica, no Parque Nacional Sila, presente no local há cerca de cinquenta anos. O órgão – como explica uma nota da própria Autarquia – interveio na sequência de um recente acórdão do Conselho de Estado que confirmou a legitimidade da resolução do conselho municipal, liderado pelo autarca Rosaria Sucurroque ordenou a demolição oficial do edifício, dada a resistência do proprietário em prosseguir por conta própria.

«As obras ilegais – disse o prefeito Succurro, que quis testemunhar pessoalmente a demolição do eco-monstro Rovale – devem ser eliminadas. Este lugar teve e deve ser salvaguardado. É um local de tirar o fôlego, com recantos sugestivos que devem ser valorizados. E é por isso que estamos aqui hoje, precisamente para destruir o que o homem criou abusivamente”.

A Succurro lançou uma mensagem clara e inequívoca contra a construção ilegal e pela protecção do ambiente, em linha com o seu programa político de promoção e valorização da beleza do território de San Giovanni in Fiore, no coração do planalto de Sila. “É preciso acabar com os abusos, acabar com as construções desenfreadas – acrescentou o prefeito – e com a violência contra o meio ambiente da nossa Sila”.

Felipe Costa