O voto de desconfiança contra Emiliano, um compacto centro-esquerda, foi rejeitado. O governador: “Vamos construir uma frente ampla”

movimento de não confiança apresentado pela centro-direita contra o governador Michele Emiliano foi rejeitada: 18 votos a favor e 31 contra (dois vereadores ausentes). Os grupos M5 e Action também votaram contra a moção.

O facto político é que a maioria de centro-esquerda na Apúlia voltou a encontrar a unidade após os choques causados ​​pelas investigações e detenções no contexto de três investigações diferentes da Procuradoria de Bari. Após a demissão, a saída do M5 do governo, as polémicas, o confronto entre o Nazareno e o governador Michele Emiliano e a mini remodelação, a maioria no Conselho Regional votou unida contra a moção de censura apresentada pelo centro- certo. O apoio ao Presidente da Região também veio do M5s e da Acção, provavelmente convencidos pelo discurso do governador que chegou quase ao final de seis horas de debate e discussão na Câmara. As palavras de Emiliano certamente curaram as dores de estômago de vários vereadores regionais e deixaram de lado os atritos surgidos nas últimas semanas.

“Peço-lhe que rejeite a moção de censura, porque honestamente não mereço ser votado sem confiança.. Digo isso do fundo do meu coração. Terei cometido muitos erros na minha vida, mas não a ponto de desanimar num momento em que, em vinte anos de muito trabalho, mudamos verdadeiramente a história desta Região”, foi o apelo sentido de Emiliano. O governador realizou uma delicada operação de reparação na sua coligação muito variada: conseguir reunir M5s, Action, Pd e grupos cívicos não foi uma tarefa fácil É claro que nem todos os problemas foram superados e nas próximas semanas precisaremos. para entender como vão evoluir as relações. Por outro lado, foi o próprio comissário regional da Ação, Fabiano Amati, quem alertou Emiliano:

“Se as suas respostas não nos convencem ou, pior, não se concretizam, é muito simples: depois do 7 de maio vem o 8 de maio, depois o 9, depois o 10, depois o 15. Também nós podemos apresentar a moção de censura”, sublinhou. O governador, por seu lado, reiterou dois conceitos: “As investigações não dizem respeito à actividade política da Região”; e “Reforçaremos as salvaguardas da legalidade” como solicitado pelos M5s. Politicamente, porém, o objectivo é alcançar o que “não conseguiram fazer em Roma: construir uma sociedade ampla, ampla, que reúne todas as forças progressistas do nosso país, para preparar o futuro deste país”https://gazzettadelsud.it/articoli/politica/2024/05/07/respinta-la-sfiducia-a-emiliano-centrosinistra-compatto-il-govatore-costruiamo-un-fronte- largo-1c85b598-c64d-4e25-847c-658c7808786a/.”É algo – garantiu Emiliano – que tentamos fazer no laboratório político da região da Apúlia”.

“Neste último mês passamos por uma tempestade política e mediática de enormes proporções”, mas “não há sequer uma investigação sobre a região da Apúlia, nem mesmo uma. Não há contestação aos julgamentos de que estão a ouvir falar que dizem respeito à região da Apúlia”. O presidente da Região da Apúlia, Michele Emiliano, disse isso durante a discussão da moção de censura no Conselho Regional da Apúlia. “Claro – acrescentou – há certamente investigações preliminares em curso, que dizem respeito aos gestores, outros assuntos, mas nada que diga respeito ao nível político, que aliás, em diversas ocasiões, foi o protagonista da denúncia, porque a fraude multimilionária, infelizmente, daqueles profissionais, daqueles advogados, que em conluio com alguns funcionários da Região praticaram fraudes, aproveitando-se dos decretos cautelares na agricultura, o 'Nós descobrimos, tenho que ser honesto, eu e o chefe da profissão jurídica. Recentemente notámos que havia alguns funcionários que acreditavam estar a reembolsar honorários de advogado que já tinham pago. Tentaremos estabelecer como e em que termos; e percebemos isso. Nós o removemos e recuperamos as somas”https://gazzettadelsud.it/articoli/politica/2024/05/07/respinta-la-sfiducia-a-emiliano-centrosinistra-compatto-il-govatore-costruiamo-un-testa- largo-1c85b598-c64d-4e25-847c-658c7808786a/.”Até a última investigação citada na notícia partiu do engenheiro Valenzano, que obviamente a relatou: ele percebeu – lembrou Emiliano – que havia uma garantia que provavelmente não era verdade. Tem sido feito um trabalho tão importante, dentro dos limites das nossas possibilidades, porque não temos meios de investigação, e devo dizer que provavelmente nem sequer temos poder de investigação, no sentido de que temos poder de fiscalização, que é algo muito diferente de investigar”.

“Queremos reforçar os controlos internos de legalidade. Já reforçámos enormemente a unidade regional de inspecção sanitária, que funciona como um verdadeiro órgão de controle. Ouvi, no discurso do Marco Galante, que é intenção do Movimento 5 Estrelas estender o método que desenvolvemos com os Nirs ao resto da administração, e é um ponto com o qual concordo. É um ponto com o qual concordo, mesmo que fosse apenas uma questão de rever, como fazemos na saúde, os procedimentos e verificar se estão todos bem executados. Foi-me anunciado que o grupo Movimento 5 Estrelas vai apresentar um projeto de lei, esse projeto será apoiado pelo governo regional”, disse Emiliano.

Felipe Costa