Reavaliação das pensões 2024, eis o que muda: são esperados aumentos até 130 euros

Reavaliação das pensões 2024, saiba o que muda: estão previstos aumentos até 130 euros a partir de janeiro.

O Ministro da Economia e Finanças Giancarlo Giorgetti, em acordo com a Ministra do Trabalho e Políticas Sociais Marina Elvira Calderone, assinou um decreto que estabelece, a partir de 1º de janeiro de 2024, um reajuste inflacionário das pensões igual a +5,4%. Esta medida foi anunciada pelo Mef.

“O aumento, que será aplicado de acordo com a regulamentação em vigor, baseia-se na variação percentual dos índices de preços ao consumidor fornecidos pelo Istat em 7 de novembro de 2023”, afirmou o ministério.

Atualização sobre equalização de pensões

O ajustamento de equalização das pensões relativo à inflação de 2022 foi antecipado para 1 de dezembro de 2023. Este ajustamento, igual a 0,8%, serve para compensar a inflação real de 2022, que foi de 8,1%. A data do pagamento foi confirmada no decreto legislativo que acompanha a manobra do governo Meloni.

Introdução à reavaliação de pensões

O orçamento de 2024 introduziu alterações para preservar o poder de compra das pensões e protegê-las da inflação. Entre estas, a antecipação da reavaliação das pensões para dezembro de 2023.

Detalhes da Reavaliação de 2023

A reavaliação definitiva do Istat para 2023 foi fixada em 8,1%, face à estimativa anterior de 7,3%. Consequentemente, registra-se um reajuste de 0,8%.

Exemplo de reavaliação de 2023:

  • Pensão de 1.000 euros
  • Reavaliação provisória: 7,3% = +73 euros
  • Reavaliação definitiva: 8,1% = +81 euros
  • Ajuste: +8 euros
  • Total: 1.081 euros

Ajuste de pensões para 2024

O ajustamento da inflação das pensões para 2024 foi fixado em 5,4%, em linha com dados fornecidos pelo Istat.

A partir de Janeiro aumenta até 130 euros

Desde janeiro, as pensões têm sido um pouco mais pesadas, embora não da mesma forma para todos. O governo fixou o reajuste inflacionário para o próximo ano em 5,4%. Mas por força do mecanismo de faixas que garante a equalização total apenas para subsídios até cerca de 2.200 euros, os aumentos serão diversificados, até um máximo de 130 euros nas faixas em que se concentra a maioria dos pensionistas.

A reavaliação de 2024

Face à inflação, com a taxa fixada em 5,4%, em 2024 significará aumentos de até 122 euros para os cheques até quatro vezes o mínimo, aqueles para os quais se espera a recuperação total do aumento dos preços, ou seja, aqueles até 2.272,96 euros brutos. Com efeito, neste momento o tratamento mínimo para 2023 está fixado em 563,74 euros, mas a isto há que acrescentar a diferença de 0,8% entre a inflação recuperada em 2023 (7,3%) e a inflação efectiva registada em 2022 (8,1%) . Quem tem rendimentos de pensões entre 2.272,96 euros (quatro vezes o mínimo) e 2.841,2 euros mensais (cinco vezes o mínimo) obtém uma recuperação de 4,59% (85% de 5,4%) portanto um máximo de 130,41 euros. Quem tem rendimentos entre cinco e seis vezes o mínimo (3.409,44 euros) tem direito a uma recuperação de 53% e, portanto, tem um acréscimo de 2,862% igual a um máximo de 97,57 euros. Quem tem pensões até oito vezes o mínimo (4.545,92 euros mensais) tem direito a uma recuperação de 47% da inflação, portanto a 2.538 para um aumento da folha de vencimento de no máximo 115,37 euros.

A pensão mínima está subindo

A partir de 2024 a pensão mínima passará para 614,77 euros para todos os reformados. O INPS explica-o numa circular que ilustra a renovação das pensões para 2024. Este valor é definido pela reavaliação excecional das pensões até ao mínimo do INPS (que passou para 598,61 euros) prevista na lei orçamental de 2023.

Assim, especifica o INPS, ao mesmo tempo que as operações de reavaliação de cheques, foi reconhecido um novo aumento de 2,7%.

Na circular, o INPS indica ainda os valores atualizados da reavaliação provisória de 2024, à taxa do ISTAT de 5,4%:

  • 100% para pensões até quatro salários mínimos,
  • 85% para aqueles entre quatro e cinco vezes o mínimo,
  • 53% entre cinco e seis vezes o mínimo,
  • 47% entre seis e oito vezes o mínimo,
  • 37% entre oito e 10 vezes o mínimo
  • e 22% acima de 10 vezes o limite mínimo.

Ajustes Especiais e Mínimos

As pensões com valor igual ou inferior ao pagamento mínimo do INPS terão acréscimos adicionais:

  • Para 2023: +1,5% (mais de 75 anos receberão +6,4%)
  • Para 2024: Aumento com base na correção monetária para 5,4%

Reavaliação das Contribuições dos Trabalhadores 2024

Os empregados terão um aumento nas contribuições previdenciárias a partir de 1º de janeiro de 2024, com base na indexação de 8,1%.

Felipe Costa