Todos os nós da nova mobilidade de Catanzaro

Algumas questões críticas permanecerão e será necessário encontrar uma solução para elas, adaptar-se ao máximo e criar um sistema viário que contribua para uma integração cada vez maior dos vários pontos do território da cidade. Estes são aspectos analisados ​​durante a conferência de planeamento do documento preliminar do CPS que terminou em Abril passado e cuja acta foi publicada nos últimos dias. A formação do plano está, portanto, a decorrer de acordo com o calendário indicado pelo vice-presidente da Câmara. com responsabilidade pelo Ordenamento do Território, Giusy Iemmatambém ditado pela legislação regional sobre planejamento urbano.
Durante a última sessão da conferência – convocada pelo prefeito em janeiro Nicola Fiorita – foram recolhidos documentos e intervenções de vários participantes, incluindo as associações profissionais que não deixaram de apontar a necessidade de previsões sobre estacionamento, Germaneto e maior interligação entre os bairros da capital, pensando também num sistema de hub e numa melhor ligação para o Lido.
Por conseguinte, a mobilidade permanece no centro das atenções, tanto à luz das intervenções em curso como tendo em vista a futura reorganização. Em particular, permaneceram em discussão as questões relativas à mobilidade e ao estacionamento colocadas pelas encomendas de arquitectos e engenheiros.

Felipe Costa