Vibo, todos de cabeça na votação: Cosentino e Romeo no último ato

Grandes manobras em vista do segundo turno na capital. O resultado da disputa no primeiro turno das eleições administrativas, da qual o sucessor do Maria Limardo, não surtiu os efeitos desejados em nenhuma frente. Assim, o candidato do Terceiro Pólo saiu de cena Francesco Muzzopappaa partida será disputada nos dias 23 e 24 de junho Roberto Cosentinoexpressão do centro-direita, que ultrapassou os 38,4% dos votos, ed. Enzo Romeu, candidato de centro-esquerda, que alcançou pouco menos de 32%. Um resultado que não deixa ninguém em paz e que, sobretudo, empurra os dois contendores com os respectivos aparatos partidários a tentar convencer os eleitores do pólo central que, apesar de não terem conseguido minar a segunda posição do ex-presidente da Província , porém, obteve consideráveis ​​28,85% no nome do aspirante a prefeito.
Pois bem, já na noite de terça-feira, uma vez adquiridos os dados, ainda que provisórios, das preferências, realizou-se uma reunião na sede do candidato de centro-direita, com as portas praticamente abertas, na presença dos dirigentes de todas as forças políticas , Forza Itália, Fratelli d'Italia, Vibo Unica, Indipendenza e listas cívicas, para explicar como é necessário avançar em uníssono, sem perder a unidade, face a um escrutínio que, para além do voto desarticulado que Romeu conseguiu captar em comparação com nas suas listas, vê Roberto Cosentino à frente por mais de mil votos, no final do primeiro tempo de uma partida muito difícil.

Felipe Costa