Seu Pico é memória e referência na subida da Serra de Mauá

A volta do Jacu inspira violeiro
08/06/2015
Empresas demitem jornalistas no Sul Fluminense
12/06/2015
Mostrar tudo

Seu Pico é memória e referência na subida da Serra de Mauá

Até hoje, quase 30 anos após sua morte, Seu Pico permanece presente na memória e no imaginário das pessoas que circulam pela região de Visconde de Mauá.

Tanto dos moradores quanto também de muitos visitantes. Nos poucos mais de 10 anos em que esteve à frente do seu negócio, o bar e lanchonete Ponto Pergunta, na subida da Serra de Mauá pela hoje Estrada-Parque, Seu Pico tornou-se uma referência não só pela amizade, alegria e hospitalidade com que recebia amigos, fregueses e viajantes, como também referência de lugar: antes e depois de Seu Pico. Não é raro ainda se ouvir no ônibus para a Maromba, algum passageiro solicitar ao motorista: “Pode dar uma paradinha no Seu Pico, por favor? ”

Sempre bonachão e brincalhão com as pessoas amigas, era também de extrema severidade e sisudez com quem extrapolasse a conduta ou fizesse zombarias. São famosos os casos em que se envolveu, como o dos ladrões que primeiro lhes pediram gasolina para depois tentar roubá-lo, sob a mira de um revólver. Seu Pico não somente os desarmou como botou-os para correr. “Não recusava uma briga, mesmo depois de velho”, conta uma de suas filhas, Ana Virgínia, mais conhecida por Vig.

Seu Pico é um dos desbravadores da região da Serra de Mauá, onde chegou em meados dos anos de 1970, quando também chegaram os hippies e muita gente interessada em uma vida alternativa. Sua criatividade na arquitetura e nos materiais com que construiu os cômodos do Ponto Pergunta, com suas paredes de latas; os deliciosos bolinhos de queijo preparados por Dona Dolores, sua mulher amada; mais a beleza do entorno do local, onde tinha um tucano, muitos pássaros, água corrente da montanha e mais os deliciosos “causos” do Seu Pico, contados sempre com muito humor e irreverência, fizeram dele uma personagem da região, única e inesquecível, para ser sempre lembrada pelas novas gerações.

Os comentários estão encerrados.