A cultura para unir a Calábria e a Albânia: a ideia das aulas de arbëreshë nas escolas

O fortalecimento do vínculo entre a Itália e a Albânia passa também pela cultura. E, em particular, envolve a conservação e protecção da língua que os municípios calabreses de Arbereshe guardam e transmitem há séculos. Uma língua que representa a cultura e fortalece a identidade de um povo que chegou à Itália já em meados do século XV; que identifica a maior comunidade Arbereshe da Itália (mais de 58 mil pessoas); que representa também uma ponte para ligar a Itália aos países da região dos Balcãs de língua albanesa. O Ministro, Vice-Presidente do Conselho e Ministro dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação Internacional, já o reiterou diversas vezes, Antonio Tajanireunido com o Presidente da República da Albânia, Bajram Begaj, em Pallagorio, um dos três municípios de língua albanesa na região de Crotone. «Com o presidente da Região de Occhiuto – explicou Tajani – estamos avaliando a possibilidade de estudar a língua arbereshe nas escolas primárias, com aulas especiais que nos permitirão continuar a transmitir esta língua. Por isso estamos a trabalhar com a Fundação das comunidades Arbereshe da Calábria para dar uma resposta às pessoas desta terra que querem preservar a sua língua, a sua tradição. Afinal, estas são as raízes do futuro. Ninguém pode e deve negar a sua identidade, a sua história, mas deve olhar para o futuro com otimismo”.

Felipe Costa