Ataques e ameaças de morte no pronto-socorro de Vibo, Tucci: “Vigilância armada não basta”

“Quero expressar toda a minha solidariedade à equipe de enfermagem do pronto-socorro do Hospital Jazzolino de Vibo, alvo de dois ataques diferentes, com ameaças de morte em um caso, por pacientes com modos nada civilizados”. O deputado do Movimento 5 Estrelas escreveu isto numa nota Ricardo Tucci, que acrescenta: “O fenómeno das agressões aos profissionais de saúde não é novo, já ocorreram acontecimentos semelhantes no passado, que foram feitas tentativas de remediar sem, no entanto, obter resultados significativos. A presença de segurança armada no local evidentemente funciona até certo ponto.”

“Médicos e enfermeiros muitas vezes acabam – continua Tucci – agindo como pára-raios para situações que não lhes são imputáveis, longe de suas responsabilidades. As estranhas questões críticas do quadro de pessoal, que muitas vezes realiza turnos exaustivos, a instrumentação obsoleta e a estrutura dilapidada criam o terreno fértil para estes lamentáveis ​​excessos.

Sem esquecer, entre as causas, uma boa dose de grosseria inerente a alguns pacientes. Depois, nada mais se sabe sobre o novo hospital, “a iminente abertura do canteiro de obras”, com que a direita do Vibo fantasia há meses, caiu no esquecimento. Palavras ao vento, como sempre.” “Nos próximos dias – avisa o deputado – entrarei em contato com o comissário da ASP Battistini, uma figura muito atenta e sensível, para entender como chegar ao fundo do problema. Esses atos de incivilidade com quem cuida da nossa saúde devem acabar”, finaliza Tucci.

Felipe Costa