Catanzaro lamenta o falecimento do partidário Carlo Manente, falecido aos 99 anos

O guerrilheiro Carlo Manente, última testemunha do massacre fascista de Montalto, nas colinas de Macerata, onde, em 22 de março de 1944, foram fuzilados 31 guerrilheiros, morreu em Catanzaro aos 99 anos..

«Esta tarde – afirma o prefeito de Catanzaro Nicola Fiorita – Catanzaro acompanhará Carlo Manente na última despedida, homem que com sua história contribuiu para escrever uma peça da Resistência Italiana e de quem a cidade deve se orgulhar. Todos aqueles que ao longo dos anos tiveram a oportunidade de se formar política e culturalmente na nossa cidade tiveram consciência deste grande testemunho histórico e político devido ao seu empenho na divulgação que o distinguiu com grande coragem e tenacidade”. «Carlo Manente, a última testemunha do massacre de Montalto di Cessapalombo nas Marcas – continua Fiorita – deixou Catanzaro aos 18 anos para lutar nas montanhas para libertar a Itália da ocupação nazi-fascista. De regresso à capital, após um período de reflexão, tornou-se testemunha activa da história partidária que animou aqueles anos. Agora que já não está aqui, temos o dever de não dispersar o património cultural e de valores que o partidário Carlo nos deixou. Porque uma história como a sua não pode ser esquecida e, na verdade, deve ser difundida e divulgada entre as novas gerações, especialmente de Catanzaro, que terá orgulho do partidário Carlo”.

Felipe Costa