Feito titânico em Indian Wells, o italiano Nardi supera Djokovic: “Eu venci minha lenda”

A façanha de Luca Nardi no torneio ATP 1000 em Indian Wells. O italiano, número 123 do mundo, venceu o número 1 do ranking, o sérvio Novak Djokovic, em três sets com placar de 6-4, 3-6, 6-3. «Estou sem palavras. Tenho a foto de Novak no meu quarto”… e Luca Nardi não esperava vencê-lo na noite de Indian Wells. O simples facto de estar em campo já era algo especial: «Djokovic é a minha lenda. Até esta noite ninguém me conhecia. Pecador? Ele me pressionou muito nos treinos, eu não esperava vencer”.

A reação de Nole

Novak Djokovic prometeu jogar o próximo Miami Open depois de ter sofrido um “dia muito ruim” por sua eliminação no ATP-WTA Masters em Indian Wells. O tão esperado retorno do sérvio a Indian Wells após uma ausência de cinco anos terminou em uma surpreendente derrota na terceira rodada para o italiano Luca Nardi, número 123 do mundo. Djokovic disse que apesar do revés, ainda pretende jogar em Miami.
“Miami está lá, então vamos ver”, disse ele sobre o próximo Masters. «Não gostei de não ter jogado o Sunshine Double (Indian Wells e Miami) nos últimos dois anos. Eu realmente queria jogar. Eu realmente queria vir (este ano) e gosto muito de estar em Indian Wells e Miami”, acrescentou Djokovic após a derrota por 6-4, 3-6, 6-3.
Djokovic, cinco vezes vencedor do Indian Wells, estava jogando seu primeiro evento desde que perdeu para outro jovem italiano, Jannik Sinner, nas semifinais do Aberto da Austrália, há mais de seis semanas. “Luca entrou como um perdedor sortudo no sorteio principal, então ele não tinha nada a perder e jogou muito bem”, disse o 24 vezes campeão do Grand Slam sobre Nardi. «Ele merecia vencer. Fiquei mais surpreso com meu nível. Meu nível era muito, muito ruim.”
«Eis que estas duas coisas se juntam. Ele teve um ótimo dia, eu tive um dia terrível. Os resultados (são) negativos para mim.”
Djokovic, que aos 36 anos busca consolidar sua agenda de torneios, disse que continuará em Miami a partir da próxima semana. «Jogo menos torneios, por isso sou mais seletivo com a minha agenda. É claro que não é uma boa sensação sair de um torneio muito cedo, especialmente aqui. Fazia cinco anos que não jogava aqui. Eu realmente queria me sair bem. Mas não era para ser. Seguimos em frente.”

Felipe Costa