Fóssil de um “dragão” de 240 milhões de anos encontrado pela primeira vez

Um novo fóssil descoberto em antigos depósitos de calcário no sul da China fez uma descoberta extraordinária, a de uma espécie de dragão que remonta a 240 milhões de anos. A notícia, relançada pela BBC, foi publicada primeiro pela revista “Earth and Environmental Science: Transactions of the Royal Society” de Edimburgo, com uma extensa descrição de uma série de novos fósseis do animal.

O Dinocephalosaurus orientalis, este é o nome científico da espécie identificada pela primeira vez em 2003, contido no fóssil está milagrosamente completo, permitindo aos cientistas observar pela primeira vez a anatomia geral deste bizarro animal pré-histórico. O nome dragão é dado a ele por causa de seu pescoço extremamente longo, mesmo sendo um réptil aquático do período Triássico com 5 metros de comprimento.

Nick Fraser, dos Museus Nacionais da Escócia, que fez parte da equipa internacional que estudou o fóssil, descreveu-o como “um animal muito estranho, com membros semelhantes a barbatanas, um pescoço super flexível, mais longo que o corpo e a cauda juntos”. O pesquisador levantou a hipótese de que a extrema flexibilidade do pescoço do dragão pré-histórico se devia às suas 32 vértebras separadas, o que pode ter lhe dado uma vantagem na caça, permitindo-lhe procurar alimento em fendas subaquáticas.

Felipe Costa