Fundos Pnrr, Calábria é a primeira região da Itália a investir em lagares de petróleo

A Calábria é a primeira região da Itália a iniciar investimentos com recursos do Pnrr destinados à modernização de lagares de petróleo. Isto é confirmado pela publicação, no portal institucional www.regione.calabria.it (secção Departamento de Agricultura), já nos últimos dias, da classificação definitiva do concurso (publicado no final de 2023) destinado a apoiar o sector oleícola. cadeia produtiva crescente, que pela sua vocação identitária e valor económico e ambiental sempre foi essencial para o crescimento da região: A olivicultura calabresa, caracterizada pela presença de mais de 100 variedades diferentes cultivadas em mais de 24% da superfície agrícola total utilizada, constitui um tesouro de biodiversidade, enriquecido por DOP e IGP, com 70.000 hectares de cultivo biológico e uma produção que a Calábria é a segunda região mais produtiva do país, graças aos cerca de 700 lagares que operam na área.

“Na nossa terra – sublinha o vereador regional da agricultura, Gianluca Gallo – a olivicultura representa um pedaço de história, mas também um motor de desenvolvimento económico, ambiental e cultural a apoiar e mesmo a reforçar, para promover a qualidade e a competitividade através de medidas que permitam a protecção e expansão do sector”.

Daí a escolha de utilizar também os recursos disponibilizados pelo Pnrr, no valor de 16.567.725,31 euros, para aumentar a sustentabilidade do processo produtivo com a introdução de máquinas e tecnologias capazes de melhorar o desempenho ambiental da actividade de extracção de azeite virgem extra, bem como reduzir a geração de resíduos e a promoção da sua reutilização para fins energéticos. Destaca-se ainda a obrigatoriedade de realização de cursos de formação sobre produção e degustação de azeites Evo.

Após a definição dos rankings, anuncia a Direcção da Agricultura, já foi iniciado o procedimento de notificação aos beneficiários – também neste caso, muito à frente das restantes regiões – relativamente aos projectos admitidos e financiados. Para garantir o financiamento também para pedidos considerados dignos, mas sem cobertura – neste momento, a Região tomou medidas para interceptar recursos adicionais.

Já solicitamos formalmente mais 5 milhões – sublinha o vereador Gallo – obtendo imediatamente 1. Para os outros 4, que permitiriam a realização de todos os projetos avaliados positivamente, existem possibilidades concretas de poder recebê-los, conforme emergiu do oficial discussões. Estamos confiantes e continuaremos a trabalhar para a proteção e o crescimento da olivicultura calabresa“.

Felipe Costa