Microalgas tóxicas no mar, banho proibido em município da região de Crotone

Proibição de banhos devido à elevada concentração de uma microalga potencialmente tóxica no mar foi encomendado pelo comissário extraordinário do Município de Melissa, Francesco Paolo D’Alessio.
A decisão foi tomada com base nas análises da Arpacal e a pedido do Departamento de Higiene e Saúde Pública da Autoridade Provincial de Saúde de Crotone, que detectou a concentração da alga Ostreopsis ovata igual a 271.300 células/litro, muito acima do valor limite de 30.000 células por litro estabelecido por lei por decreto ministerial de 2010. A proibição de banhos diz respeito a 500 metros de praia na zona das falésias que se situam em frente à vila da aldeia de Torre Melissa.
Ostreopsis ovata é uma microalga marinha típica de mares quentes, geralmente encontrada em profundidades rasas na presença de rochas e recifes. Tem dimensões entre 30 e 60 mícrons e é identificado ao microscópio óptico. Se ingerido, respirado ou tocado, pode causar: febre, faringite, distúrbios respiratórios, dor de cabeça, náusea, resfriado, conjuntivite, vômito, dermatite. Os sintomas geralmente aparecem após algumas horas e regridem após 24-48 horas sem complicações. A presença de Ostreopsis ovata na Torre Melissa foi detectada numa amostra do mar recolhida no dia 20 de Junho. Desde 2007, o Arpacal, juntamente com outras agências regionais de protecção ambiental, iniciou uma actividade de monitorização dedicada ao , mas nos anos anteriores nunca tinha sido encontrado em concentrações superiores ou iguais a 30.000 células/litro em toda a Calábria.

Felipe Costa