Município de Vibo, enquanto o conselho funciona, a oposição faz fila na Câmara

Começa uma semana crucial para o novo prefeito que deverá começar, após sua posse, a intervir seriamente em seu conselho. Mas é tempo de reorganização também para a minoria. Ou melhor, para as minorias. Além disso, pelo menos duas oposições emergiram da votação e formarão vários grupos.
São sete vereadores eleitos pela centro-direita, com entidade precisa e definida. Presumivelmente, os representantes eleitos da Forza Vibo e Oltre também se juntarão ao grupo Forza Italia. Haverá então um vereador para Fratelli d’Italia e outro para Vibo Unica, equipe montada por Stefano Luciano que elegeu Claudia Gioia enquanto aguardava o apelo já anunciado pelo primeiro dos não eleitos, o ex-vereador Giuseppe Russo, a caminho da colisão com o líder desta implantação.
Quanto a Forza Vibo, lista cívica de Forza Italia, Carmen Corrado poderá ser acompanhada na Câmara por Giuseppe Calabria que ocupará a cadeira deixada por Roberto Cosentino, o candidato de centro-direita a prefeito que decidiu retornar à Cidadela e não vá na Câmara Municipal. Até agora a oposição certa, aquela que, sem qualquer hesitação, irá contrariar a atividade administrativa do autarca e do seu executivo.

Felipe Costa