Palmi, a fuga da Ordem dos Advogados: até sócios inscritos há 15 anos são retirados do cadastro

Advogados com quinze anos de experiência também são retirados do cadastro. Angelo Rossi, presidente do Conselho deOrdem dos Advogados de Palmiexplica os motivos que levam os associados a desistirem da carreira por terem vencido os concursos, devido aos baixos rendimentos no Sul e aos gastos duplicados de um freelancer.
“As razões são múltiplas”, afirma o advogado Rossi, que centra a sua amarga reflexão em três razões. «Nos últimos anos muitos advogados abandonaram a profissão apesar das suas capacidades devido à situação económica desfavorável que induz os clientes a não recorrerem ao profissional mesmo que necessitem, ou a esperarem ter um serviço a custos reduzidos. Soma-se a isto o aumento dramático das despesas relacionadas com o fundo forense, ou seja, registos e contribuições a pagar, além das despesas correntes da empresa. Num momento difícil para muitos jovens, não se abriu a possibilidade de aceder aos novos concursos para ter de imediato uma atraente independência económica. A soma desses fatores: baixa renda, perspectiva de emprego permanente e aumento dos gastos relacionados à profissão e, sobretudo, o momento de crise – conclui o presidente da Ordem dos Advogados de Palmi – afeta a carreira dos advogados. Esta situação negativa não se limita ao nosso território, mas a nível nacional”.

Felipe Costa