Prisões: telemóveis para gerir o tráfico ilícito, 7 por julgamento. Há também uma Messina

Receberam e utilizaram telemóveis e cartões SIM dentro da prisão de San Cataldo para continuar a comunicar com o exterior e gerir o tráfico ilícito: o Ministério Público de Caltanissetta ordenou a intimação de sete reclusos para julgamento. É sobre Antonino Manganello51 anos, natural de Palma; Caridade Giuseppe39 anos, natural de Licata; Calogero Falzone39 anos, natural de Sciacca; Kevin Bonfiglio30 anos, natural de Catânia; Amigo Maicol32 anos, natural de San Cataldo; Antonino Bongiovanni40 anos, natural de Messina e Giuseppe Giannone, 43 anos, natural de Caltanissetta. Eles são acusados ​​de terem recebido e utilizado celulares e cartões inseridos ilegalmente na penitenciária. A história remonta ao verão de 2021, quando a operação começou com algumas medidas de precaução. A procuradora Piera Anzalone levanta a hipótese de que os arguidos serão acusados ​​do crime de “acesso indevido a dispositivos adequados à comunicação por detidos”, recentemente introduzido e punível com pena até 4 anos de prisão. A audiência pré-julgamento foi marcada para 11 de setembro perante a juíza Giulia Zappalà.

Felipe Costa