Província de Catanzaro, as contas de 2023 no Conselho: o défice é superior a 36 milhões de euros

Os 4,5 milhões de euros serão certamente necessários anunciado há poucos dias pelo Subsecretário do Interior Wanda Ferro como uma parte do “fundo” atribuído pelo Ministério do Interior às Províncias em dificuldade ou em reequilíbrio. Poucas horas antes do anúncio, com resolução assinada pelo vice-presidente da Província Francesco Fragomele, o esboço do relatório de gestão do ano de 2023 foi de facto aprovado e será brevemente submetido à apreciação do Conselho Provincial e que apresenta, como resultado administrativo, um sinal de “menos” que ascende a mais de 36 milhões de euros. Este é – precisamente -36.353.326,81 euros – o valor que resulta da soma dos valores relativos aos fundos restritos (14,7 milhões) e aos fundos reservados (12,6) ao défice administrativo de 7,9 milhões de euros. Fazendo uma comparação com as demonstrações financeiras dos últimos anos, verifica-se que o resultado administrativo diminuiu, no entanto, cerca de 3 milhões de euros face a 2022, que por sua vez diminuiu mais 3 milhões face aos 42 certificados para 2021. o défice corrente O valor corresponde aproximadamente ao registado em 2020, tendo em conta que no ano seguinte o Conselho decidiu recorrer ao procedimento de reequilíbrio financeiro plurianual.

Felipe Costa