Euro 2024: um gol contra de Vertonghen condena a Bélgica. França de Deschamps voa para as quartas de final

França-Bélgica 1-0
LÍQUIDO: 40º Vertonghen (aut.).
FRANÇA (4-3-1-2): Maignan 6; Kounde 6,5, Upamecano 6, Saliba 6, Hernández 6,5; Kanté 7, Tchouameni 7, Rabiot 6; Griezmann 6; Mbappé 6, Thuram 5,5 (17º Kolo Muani 7). No banco: Areola, Samba, Barcola, Camavinga, Clauss, Dembelé, Fofana, Coman, Giroud, Konate, Mendy, Pavard, Zaire-Emery. Técnico: Deschamps 6.
BÉLGICA (4-4-2): Castelos 6; Castanhas 5,5 (43º De Ketelaere sv), Faes 6, Vertonghen 5, Theate 5,5; Carrasco 5,5 (43’t Lukebakio sv), Onana 6, De Bruyne 6,5, Doku 7; Openda 5.5 (18º Mangala 6), Lukaku 5.5. No banco: Sels, Kaminski, Bakayoko, Debast, De Cuyper, Tielemans, Trossard, Vermeeren, Vranckx, Witsel. Treinador: Tedesco 6.
JUIZ: Nyberg (Suécia) 5.
OBSERVAÇÃO: tarde clara, campo em óptimo estado, cerca de 46.000 espectadores presentes. Reservados: Tchouameni, Griezmann, Rabiot, Vertonghen, Tedesco (todos), Mangala. Escanteios: 5-2 para a França. Tempo de recuperação: 1º tempo, 3º tempo.

Mais uma vez, um gol contra é suficiente para os Bleus de Didier Deschamps, que venceram a Bélgica por 1-0 e se classificar para as quartas de final do Euro2024. O autogolo de Vertonghen foi decisivo, um instantâneo da eliminação dos Red Devils na presença de uma França presente mas não tão precisa. Fase inicial do jogo em que a bola parece estar nas mãos da equipa transalpina, mas sem conseguir criar oportunidades particulares de golo. O primeiro flash vem da Bélgica, com uma cobrança de falta de De Bruyne desviada por um jogador francês, forçando Maignan a defender com os pés. Os Bleus responderam, com Thuram que – livre na área após cruzamento de Kounde – cabeceou, mas errou por pouco o alvo. Poucas outras emoções na primeira parte com muitos erros técnicos de ambos os lados, algo que não se repetiu no início da segunda parte, quando aos 49 minutos Tchouameni desferiu um remate de longe com o pé direito que envolveu muitos mergulhos de Casteels. A Bélgica está cada vez mais recolhida e a França traz muitos homens para o meio-campo adversário mas sem melhorar a qualidade da sua produção ofensiva.

Aos 71 minutos apareceu a equipa de Tedesco, com Lukaku a libertar-se pela esquerda e a rematar rasteiro para cruzar, que foi defendido por Maignan. Um resultado que não abriu o marcador em Dusseldorf, com a França ainda a aparecer com dois remates venenosos mas ao lado, primeiro de Saliba e depois de Mbappe. Aos 83 minutos foi a Bélgica quem deu o sinal, com a percussão de Doku a favorecer a conclusão forte mas central de De Bruyne, bem neutralizada por Maignan. A partida parece caminhar para a prorrogação, mas aos cinco minutos dos noventa é Kolo Muani quem encontra a sequência de vitórias, no final de uma ação manobrada dos Transalpinos que termina com o chute não irresistível do atacante do PSG, mas fez o vencedor devido ao desvio fatal de Vertonghen que coloca Casteels definitivamente fora de ação. É o gol contra do ex-Tottenham que condena a Bélgica e mandar a França para os quartos-de-final: os homens de Deschamps vão agora defrontar o vencedor entre Portugal e Eslovénia

Felipe Costa